terça-feira, 20 de julho de 2010

As cartas que eu não mando


São João Del Rei, 20 de Julho de 2010.

Oi tudo bem?Comigo vai tudo ótimo, por incrível que pareça é isso mesmo que você ouviu: tudo ÓTIMO!
É, eu sei que as palavras ótimos, excelente e maravilhoso nunca se encaixaram bem na minha vida.Comigo foi sempre algo não muito espetacular ou não muito ruim.Sempre faltou algo, sempre houve um vazio no meio de tudo, no meio de todos.
Mas te escrevo hoje não é para falar de mim, apesar desse meu lado egocêntrico que transparece na escrita, mas que não é nada semelhante às minhas conversas pessoais com as pessoas, já que quase nunca procuro falar de mim ,mas gosto de ouvir muito sobre elas.Hoje vim aqui falar de você e de como está sendo tão bom isso tudo.
Sabe não sei ao certo distinguir o começo de nós dois.Prefiro achar que não houve começo.Como poderia haver se os sentimentos de ambos vieram em fases distintas.Eu cautelosa, previnida e espantada com a situação me contive , tentei mudar o foco, me desviar do que estava na cara que ia acontecer.Já você não, veio atropelando tudo : minha reação, minha concepção a respeito de tudo, meu modo de ver as coisas.Minha indiferença não foi o bastante para fazer você desistir e o que eu não sentia de modo algum e nem queria sentir foi se transformando em algo bom, está se transformando em algo, já é algo.
Agora sim sem você estar correndo a frente do tempo e sem eu querendo adiar nada, estamos caminhando certo.Tempo a tempo, olhar a olhar, sorriso a sorriso.Não quero adiantar nada, não quero atrasar, não quero.Quero agora esse tempo bom ,quero muitos ''agoras''. E o que me importa o amanhã, o depois , o mês que vem? Nada importa.E se não tivermos juntos e se não tiver como? Nada importa , é o que te respondo.Nunca fui de me preocupar com futuro, passado,ainda mais quando o presente me satisfaz.O que importa é enquanto dá certo, o resto não cabe a nós.
É muito bom poder estar ao seu lado, segurar a sua mão, te ouvir, cantarolar no seu ouvido, te dar conselhos, te mostrar meu mundo, conhecer o seu.É bom até sentir saudade, porque quando a gente se encontra depois de um tempo sem se ver é mais intenso, e você sabe que eu gosto é de intensidade e não de tempo e não do quão duradouro será.E acho que é assim mesmo quando a gente aprende o valor de um relação, principalmente quando se é muito jovem.A gente sempre sabe que pode não dar certo , que não vai ser para sempre, que há muita coisa para acontecer, mas a gente segue sabendo que o importante é que seja eterno enquanto dure-já dizia Vinícius de Moraes.
E é claro quando aprendemos o verdadeiro valor de uma relação sabemos que por pior que esta termine sempre há algo de bom a ser retirado.Ás vezes se tira uma lição a base de lágrimas, ás vezes um grande amigo que não seria possível conhecer se não houvesse o relacionamento, ás vezes uma aprendizagem, ás vezes uma visão mais ampla da realidade, ás vezes infelizmente se tira o amor e o joga fora , mas até isso é bom ,pois isso se chama superação.
É isso que queria lhe falar sem querer ser piegas, sem querer ser demais precipitada, sem querer demonstrar amor ,mas sim querendo mostrar que eu estou agindo normalmente e isso está dando certo.É até estranho, pois quando eu queria que algo desse certo eu mudava, fazia de tudo que estava ao meu alcance para a relação engajar, mas de nada adiantava.Eu pensava que dando o meu melhor eu faria a outra pessoa me querer mais , mas não eu não estava somente dando meu melhor, eu estava deixando de ser eu para ser algo que o outro julgava ser melhor.E agora que eu sou eu e não mudo essa situação, não tento transparecer nada, não tento mudar nada, ajo como eu sou com meus grandes defeitos e minhas inúmeras qualidades, bom agora está dando certo.E descubro o seguinte: quando é pra ser não há nada que interfira, nem uma dose de humor ácido vez ou outra, nem um desprezo quando se acha que não quer nada, nem um daquelas lições de moral que a gente tenta impor ao outro, nada importa.Quando é pra ser é e dá certo.Está dando certo, era pra ser.E eu que não aceitava esse fato antes, hoje agradeço por ser assim.Quando é pra ser não adianta resistir ou se afastar do outro como eu fiz.Não é amor ainda, mas também não é um nada como era antes. Não sei descrever o que é.É um começo, aquele começo que eu tanto procurava e não sabia distinguir no início do texto.É o começo de nós dois, afinal só se pode começar quando os dois estão na mesma sintonia, no mesmo sentimento.Agora eu estou e te garanto é um começo pra nós dois.
Deu vontade de escrever, deu vontade de falar a respeito, mesmo porque quero deixar registrado.Vai que um dia quando nada disso mais fizer sentido e eu não tenha descoberto a coisa boa que eu podia tirar de nós dois, eu olhe esse registro e descubra que a coisa boa que pode ser retirada está acontecendo agora.A coisa boa é a magia de estar ao seu lado te descobrindo a cada dia. A coisa boa é não saber no que isso vai dar, mas o que deu por enquanto já está sendo bom demais. A coisa boa é que enfim agora eu possa saber o que é estar ótima, o que é sentir que nada falta.Não por enquanto, não dessa vez.


Um grande beijo!
Com todo o carinho
Thalita

E vai aí mais um relato desses que sempre me falta a coragem pra destinar a pessoa certa.Mais uma carta que eu não mando, mais um relato que fica só entre nós caros leitores.

11 comentários:

mais amor, por favor. disse...

Acho que tu devia mandar Thalita minha linda, tantas palavras que ficam por não ditas, é melhor dizer, melhor arriscar, quem sabe alguém não esteja precisando das tuas palavras, heim? Beijo grande!

Ricardo Sena disse...

Cheguei nesse blog (pelo título dele, que menciona as "cartas")... vamos a explicação, que divido agora: ontem quando cheguei em caso recebí uma carta (aquelas manuscritas, com direito a selo lambido e tudo mais) fiquei surpreso afinal em plena era da velocidade da internet, receber uma correspondencia no modo mais tradicional me emocionou. Conteúdo muito simples, mas a forma utilizada foi fantástica!! Deu-me vontade de emoldurá-la e por na parede...
Me identificando agora: sou fotógrafo morando em Salvador-BA, mas fotografando onde meus pés me levam. Quem quiser pode dar uma visitadinha no meu blog olhardabahia.blogspot.com (ou www.ricardosena.com.br) e se quiserem mandar uma cartinha será bem vindo! Abs e Vida Longa!

Ariela disse...

As cartas não enviadas. Preciso fazer algo com as minhas, se não não haverá mais espaço para elas!
Admito: sua é um tanto bela.

Camila Paier disse...

Flor, lindo, lindo..São essas eternas cartas que não mandamos que nos fazem ter lembranças, e memórias. Achei lindo!
Um beijo, florzinha

Déborah Simões disse...

São as cartas que não mandamos que fariam toda a diferença..
Palavras devem ser ditas a quem nos causa essa reação...
Lindo esse texto...
Amei..

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Que coisa mai linda meu Deus do Céu.

Essa menina é talentosa demais.

Beijo no coração

Amanda Arrais disse...

"Quero agora esse tempo bom ,quero muitos ''agoras''"

É disso que precisamos. Ontens ficaram pra trás e amanhãs são incógnitas, o bom é viver o presente (intensamente).

Compartilho do teu hábito de escrever cartas e não envia-las.

=*

Lu Dantas disse...

Acho que deveria ter enviado..

Às vezes, surgem momentos em que não é possível guardar as palavras em cartas escondidas no fundo do armário. Quando o lugar estiver lotado, elas certamente serão expostas e aí o tempo pode ter danificado alguma delas...

Talvez encher-se de coragem como um teste uma vez, pelo menos, pode ser uma boa. Que tal?

Beijo

mais amor, por favor. disse...

Tem post novo lá Thalita meu anjo, espero post novo aqui também. Beijo grande!

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Sabe. Vim cá reler a sua carta. Fiquei pensando se o Monstro de Chocolate não podia me escrever pelo menos uma linhazinha. Talvez isso me tornasse menos só.

Te abraço apertado

autofágica disse...

manda!manda!
que lindo Thalita.
hoje recebi uma carta
e publiquei no blog.
foi da minha consciência.

beijo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...